Header Ads

CASA DE LUXO SERVIA DE ESCONDERIJO PARA QUADRILHA


Polícia apreende explosivos, coletes e material hospitalar em casa de luxo em Teresina



Polícia Civil suspeita que quadrilha especializada em ataques a bancos alugou casa na Zona Sul para guardar o material. Idosa estava na casa com uma adolescente de 15 anos





Polícia Militar apreendeu uma grande quantidade de explosivos, material hospitalar e coletes à prova de balas em uma casa de luxo no conjunto Santa Clara, zona Sul de Teresina, nesta sexta-feira (26). Todo o material foi levado para o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), da Polícia Civil, e segundo o delegado Gustavo Jung, a casa era alugada por uma quadrilha especializada em roubo bancos.

Grupo teria assaltando Banco do Brasil de Miguel Alves

“A PM recebeu a denúncia de que havia no local um carro roubado há dois dias em Elesbão Veloso, o que foi confirmado. Durante as buscas, foram achados os explosivos e uma idosa e uma adolescente e duas foram conduzidas pra sede do Greco junto com o material”, explicou o coordenador do Greco, delegado Willame.


A idosa e a adolescente encontradas na casa informaram apenas que estavam no local porque foram contratadas para fazer a limpeza, mas que não têm envolvimento no caso. "Isso está praticamente confirmado, mas vamos confirmar se elas fazem parte da quadrilha. As duas são mãe e sobrinha do proprietário da casa", informou Jung


Segundo a Polícia Militar, a casa era bastante grande e foi alugada por um homem não identificado. O local servia como uma espécie de depósito, contendo somente colchões e um fogão, onde eram preparadas refeições para o grupo. No local, a vizinhança relatou ainda ocorrência frequente de festas e churrascos com muitas pessoas.

  Quadrilha "especializada"

O delegado Gustavo Jung informou que alguns dos produtos encontrados confirmam a grande "especialidade" da quadrilha, como os coletes e material para cuidados médicos.

"Era uma quadrilha que atuava de forma específica, com muito cuidado. Esses produtos hospitalares eram para o cuidado imediato se algum integrante se machucasse em um confronto com a polícia, porque se tivesse que ir para um hospital, chamaria muito a atenção", informou




Há ainda produtos que o delegado informou serem usados especificamente no arrombamento de cofres, como maçaricos e perfuradores para chapas de ferro de grande espessura, assim como "miguelitos" como são conhecidos os grampos usados para furar pneus de veículos que tentem perseguir o grupo durante uma fuga. A polícia achou ainda luvas, ferramenta e cilindros de oxigênio usados com os maçaricos.

O delegado acredita que o grupo atuaria em breve em agências bancárias do Piauí. As investigações acontecerão agora para apurar todos os crimes cometidos pela quadrilha e quem está envolvido nas ações. Uma das suspeitas é de que o grupo tenha atuado no assalto ao Banco do Brasil de Miguel Alves, em novembro do ano passado. O grupo incendiou um carro na fuga


"Miguelitos" seriam usados para furar pneus de outros veículos

Nenhum comentário