Header Ads

O que pode causar e como tratar a coceira na vagina

O que pode causar e como tratar a coceira na vagina

A coceira na vagina pode ser sintoma de alergia ou candidíase, por exemplo. Quando ela é causada por uma reação alérgica, a região afetada é, na maior parte das vezes, a mais externa. Neste caso, o uso de calcinhas que não sejam de algodão e de calças jeans, diariamente, podem causar irritação e aumentar a coceira.
Quando a coceira é interna, ela pode ser causada pela presença de algum fungo ou bactéria e o sintoma pode vir acompanhado de inchaço e de corrimento. Muitas vezes, a causa da coceira é a candidíase, uma doença causada pelo desequilíbrio dos fungos que, normalmente, habitam esta região.
Outros sintomas característicos da candidíase são:
  • Coceira na região interna e externa da região íntima da mulher;
  • Corrimento branco, tipo leite coalhado, com ou sem mau cheiro;
  • Dor/ardor ao urinar.
Faça agora um teste rápido para saber se é mesmo candidíase e saiba como se livrar dela.
O que pode causar e como tratar a coceira na vagina

Teste rápido para identificar a causa

Para descobrir porque tem coceira na vagina, assinale todos os sintomas que está sentindo:
  1. 1. Vermelhidão e inchaço em toda a região íntima
    Sim
    Não
  2. 2. Placas esbranquiçadas na vagina
    Sim
    Não
  3. 3. Corrimento esbranquiçado com grumos, semelhante a leite talhado
    Sim
    Não
  4. 4. Dor ou sensação de queimação ao urinar
    Sim
    Não
  5. 5. Corrimento amarelado ou esverdeado
    Sim
    Não
  6. 6. Presença de pequenas bolinhas na vagina ou pele áspera
    Sim
    Não
  7. 7. Coceira que surge ou piora após usar algum tipo de calcinha, sabonete, creme, cera ou lubrificante na região íntima
    Sim
    Não
  8. 8. Presença de pequeno inchaço localizado na lateral da vagina
    Sim
    Não
Como alguns destes sintomas são comuns a várias alterações, o melhor é sempre consultar o ginecologista caso a coceira não melhore após 1 semana de cuidados simples como manter a região íntima bem limpa e seca, evitar roupa de materiais sintéticos e fazer uma alimentação com menos alimentos açucarados.

Tratamento para coceira na vagina

Um bom tratamento caseiro para aliviar a coceira na vagina é lavar a região íntima com chá de alecrim e sálvia, por exemplo, pois tem propriedades antimicrobianas que eliminam bactérias e evita o crescimento de fungos, que podem causar a coceira. 
  • Candidíase: o tratamento pode ser feito com o uso de antifúngicos orais e pomadas para candidíase, receitados pelo ginecologista, como Clotrimazol ou Miconazol. Veja aqui quais são e como usar as pomadas ginecológicas mais usadas para candidíase.
  • Alergia a substâncias químicas como o cloro, presente na água do jacuzzi, banheira ou piscina: lavar bem a região íntima com um sabão de pH neutro e secar bem, antes de colocar uma calcinha de algodão. Depois de sair da piscina, também é importante tirar o biquíni para que não seque no corpo e permita o crescimento de fungos ou o contato prolongado com cloro. 
  • Doenças sexualmente transmissíveis: é muito importante consultar o ginecologista e fazer exames para identificar a causa específica, iniciando o tratamento com os antibióticos ou antivirais mais adequados. Entenda como é feito o tratamento das principais DST's.
Em qualquer caso, se a coceira durar por mais de 1 semana ou surgirem outros sintomas, como corrimento com mau cheiro ou inchaço da região, é aconselhado ir ao ginecologista para identificar a causa e iniciar o tratamento adequado.

Como não ter mais coceira na vagina

Para evitar a coceira na vagina é indicado:
  • Usar roupa íntima de algodão, evitando materiais sintéticos que não deixam a pele respirar, facilitando o crescimento de fungos;
  • Ter uma boa higiene íntima, lavando somente a região externa, com sabonete próprio para a região, mesmo após o contato íntimo;
  • Evitar o uso de calças muito justas, para impedir a elevação da temperatura local;
  • Utilizar preservativo em todas as relações, para evitar a contaminação com as DSTs.
Estes cuidados ajudam também a aliviar a irritação local e a diminuir a coceira, quando já existe. É, ainda, recomendado evitar fazer uma alimentação com alimentos muito açucarados. Veja algumas dicas da dieta para tratar a coceira


Pré-diabetes - Sintomas, Tratamento e Cura

A pré-diabetes é uma situação que antecede a diabetes e serve de alerta para evitar a progressão da doença. O indivíduo pode saber que é pré-diabético num simples exame de sangue, onde pode-se observar os níveis de glicose no sangue, ainda em jejum.
A pré-diabetes indica que a glicose não está sendo bem aproveitada e está ficando acumulada no sangue, mas ainda não caracteriza a diabetes. O indivíduo é considerado pré-diabético quando os valores da sua glicemia em jejum variam entre os 100 e 125 mg/dl e é considerado diabético se esse valor atingir os 126 mg/dl.
Se além dos valores aumentados de glicose no sangue, você tiver acumulo de gordura na barriga, insira seus dados na calculadora a seguir para saber qual o seu risco de desenvolver diabetes ou de ter um infarto, por exemplo.
Saiba qual o seu risco de ter diabetes fazendo o teste a seguir:

Saiba qual o seu risco de desenvolver diabetes

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
Imagem ilustrativa da questão
Sexo:
  • Masculino
  • feminino
Imagem ilustrativa da questão
Idade:
  • Menos de 40 anos
  • Entre 40 e 50 anos
  • Entre 50 e 60 anos
  • Mais de 60 anos
Imagem ilustrativa da questão
Altura:
 m
Imagem ilustrativa da questão
Peso:
 kg
Imagem ilustrativa da questão
Cintura:
  • Maior de 102 cm
  • Entre 94 e 102 cm
  • Menor de 94 cm
Imagem ilustrativa da questão
Pressão alta:
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
Você faz atividade fisica?
  • Duas os mais vezes por semana
  • Menos de duas vezes por semana
Imagem ilustrativa da questão
Você tem parentes com diabetes?
  • Não
  • Sim, parentes em 1º grau: pais e / ou irmãos
  • Sim, parentes em 2º grau: avós e / ou tios

Sintomas da Pré-diabetes

A pré-diabetes não tem qualquer sintoma e esta fase pode durar de 3 a 5 anos. Se durante este período a pessoa não se cuidar é muito provável que desenvolva diabetes, uma doença que não tem cura e que necessita de controle diário.
As únicas formas de saber se a pessoa tem diabetes é através da realização de exames. A glicemia de jejum normal é de até 99 mg/dl, por isso quando o valor está entre 100 e 125, a pessoa já se encontra na pré-diabetes. Outro exame que também serve para o diagnóstico da diabetes é o teste da hemoglobina glicada. Os valores entre 5,7% e 6,4% são indicativos de diabetes.
Estes exames podem ser realizados quando o médico suspeita de diabetes, quando há histórico na família ou num check up anual, por exemplo.

Como tratar a Pré-diabetes e evitar a Diabetes 

Para tratar a pré-diabetes e evitar a progressão da doença deve-se controlar a alimentação, diminuindo a ingestão de gorduras, do açúcar e do sal, atentar para a pressão arterial e fazer alguma atividade física, como caminhar diariamente, por exemplo.
Adicionar à alimentação alimentos como a farinha de maracujá e comer diariamente folhas verde escuras são também ótimas formas de combater o excesso de açúcar no sangue. E somente ao adotar todas estas estratégias será possível evitar o desenvolvimento da diabetes.
Em alguns casos o médico poderá receitar o uso de remédios para controlar a glicemia no sangue como a Metformina, que deve ter a dose ajustada conforme a necessidade. 

Pré-diabetes tem cura

As pessoas que seguem todas as orientações médicas e adequam a alimentação e a prática regular de atividade física podem normalizar sua glicemia sanguínea, curando a pré-diabetes. Mas após atingir esse objetivo é importante manter esse novo estilo de vida saudável para que a glicemia não volte a subir.

Nenhum comentário